domingo, 25 de março de 2018

Shadow weave - demorou, mas consegui!

Sempre fui fascinada por uma técnica chamada "shadow weave". Em uma tradução mais informal, o nome refere-se à "sombra" de um desenho que pode ser reproduzida no tear. Assim, dependendo da padronagem, é possivel ter efeitos de "3-D", por conta da sombra. Na verdade, trata-se de uma jogada claro-escuro, com fios liçados e tramados de maneira alternada, de maneira parecida com o que se faz no padrão esteirinha, facilmente reproduzido em qualquer tipo de tear:

Resultado de imagem para log cabin weaving draft


Fonte: Weavolution


"Shadow weave" destaca um pouco mais o aspecto sombreado, e uma vez que é feito em teares de 4 ou mais quadros, leva à execução de quaisquer desenhos feitos na estrutura twill  ( 1,2; 2,3; 3,4; 2,4)
Também é curioso apontar que a "sombra" é feita com o fio claro, e não com o escuro, como poderíamos pensar.

Mary Meigs Atwater, americana, foi a primeira tecelã a desenvolver a padronagem, em 1942. Seu método, conhecido como o Método Atwater,  consiste em liçar os fios, de cores alternadas, usando quadros complementares (1 e 2 recebem fios escuros, enquanto que 3 e 4 recebem fios claros. Quadros 1 e 3 são complementares, assim como 2 e 4). A liçagem, no entanto, deve ser feita com cuidado, com cada fio sendo acompanhado por sua sombra. Mais à frente, explicarei com mais detalhes.


Vejam que a trama sempre acompanha a liçagem, o que em inglês se chama "as drawn-in", e as cores podem ser passadas de maneira inversa à liçagem, ou na mesma ordem, dependendo do desenho desejado. Assim, se o primeiro fio da liçagem, por exemplo, for preto (gráfico abaixo), o primeiro fio da trama deve ser preto, e assim por diante, alternando as duas cores. Vale a pena lembrar (já disse aqui em vários posts, mas nunca é demais), que gráficos de padrão americano são lidos da direita para a esquerda, e de cima para baixo.


Resultado de imagem para shadow weave atwater method 4 shaft

Fonte: Pinterest


Veja só as diferenças de um twill comum para shadow weave:

 twill tecido de maneira normal, claro na liçagem e escuro na trama


 mesmo desenho, em forma de shadow weave



Note que a liçagem parece bastante diferente do original. Isso acontece porque cada fio do urdume deve vir acompanhado de sua sombra: 1(original azul) - 3 (sombra - branco); 2(original azul) - 4 (sombra -branco). 


Para começar, coloque no gráfico somente os fios originais, deixando sempre um espaço entre eles:


 Para que a sombra fique sempre do lado certo em um desenho espelhado como esse, é preciso duplicar os fios onde o desenho faz uma ponta, em cima. A sombra, nessa região, servirá aos dois fios no mesmo quadro:



A sombra aqui está marcada com pontos vermelhos. Note como ela acompanha o original, sempre complementando: 1-3; 2-4

Feito isso, basta repetir exatamente o que está na liçagem, na trama, conforme o gráfico acima. Escolha duas cores contrastantes, para que a sombra possa se diferenciar, e procure optar por uma cor clara e uma escura. Isso não é uma regra, mas ajuda. 

Esse aqui é o meu experimento:

A partir de um gráfico simples em M e W, que infelizmente não tenho aqui, parti para colocar a sombra em verde claro. O resultado está em andamento:



No próximo post, mais shadow weave, agora pelo método Powell, um jeito diferente de conseguir o mesmo resultado. Até a próxima!






Nenhum comentário:

Postar um comentário