segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Uma história de 6 tapetes (parte 1)

Não tenho tido muito tempo para escrever aqui, como podem perceber...o blog anda meio largado, mas tenho me esforçado ao máximo para me manter em um post por mês, pelo menos...ou que apareça em algum momento de cada mês, rs..enfim, vamos lá.
Como sabem, vendo em uma loja colaborativa, o que demanda atenção àquilo que vende, e sobretudo àquilo que não vende e precisa ser reavaliado. Como a mudança para novo endereço, novos olhares, novo público, e uma exposição agora em larga escala (sim, aparecemos na TV!), traz um novo cuidado na escolha de peças, e eu ainda estou em fase de experimentação - o que vende? o que atrai? sendo assim, tenho procurado diversificar as peças, e mostrar coisas diferentes a serem feitas com tecidos artesanais. E, de novo, falo: tecelagem não é só para fazer tapetes e cachecóis! é para fazer TECIDO - o que vc faz com ele é outra história, e isso é que pretendo mostrar no curso que darei no próximo mês ou em outubro, ainda não sei. 
Mas, voltemos à história que quero contar, e que vou contar aqui ao longo da confecção de 6 tapetinhos de malha. Aparentemente, pessoas tem passado na loja à procura destes tapetes em tear, e assim, fui incumbida de produzir uns 6 em padronagens diferentes. Achei, então, que poderia ser interessante explorar quantas padronagens diferentes é possivel criar, partindo de uma mesma estrutura (ponto tela), somente modificando cores/ordem. Assim, convido vocês a me acompanharem neste aventura em 6 partes, 6 tapetes diferentes. 

Inicialmente, vamos às condições de trabalho. Estou usando um tear de pregos de 80 x 50 pregos, com espaçamento de 1 cm, bastante ideal para se trabalhar com fios de malha. Vou adotar o ponto tela como base, e a partir dele, explorar padronagens diversas, mistura de cores diversas, e para tanto, vou elaborar os gráficos. O primeiro tapete está pronto, e então já posso postar as fotos aqui.

Vou usar, para fins deste experimento, um software bastante simples, da empresa Harrisville Designs, especializada em teares de vários tipos. Este programa pode ser facilmente acessado na página deles, e não há download - tem que usar lá. O link: http://harrisville.com/pages/potholder-wizard




Como existe uma limitação de cores, o gráfico não corresponde exatamente à cor do tapete, mas a padronagem pode ser vista. Vejam que escolhi um padrão estriado para os dois fios de malha, que pode ser facilmente conseguido se as cores forem distribuidas alternadamente para o urdume (cada prego uma cor), e o mesmo ocorrendo com a trama. No entanto, é preciso se atentar para o fato que, dependendo da ordem assumida para a trama, listras horizontais podem surgir no lugar de listras verticais:


Tome por referência as duas flechas no canto esquerdo, acima (para teares de pregos, tanto faz se vc faz urdume da esquerda para a direita, ou vice versa, ou  se vc começa de cima para baixo ou o contrário):

Gráfico 1 (original): urdume começa com rosa e trama começa com azul - listras verticais
Grafico 2 (variação): urdume começa com rosa e trama começa com rosa - listras horizontais.

A confecção foi feita sobre o gráfico 1, então no sentido do comprimento do tapete, vemos listras verticais:



Após a lavagem e encolhimento, o tapete apresenta uma dimensão aproximada de 41 x 67 cm, que pode variar ligeiramente dependendo do fio de malha utilizado - nem todos apresentam a mesma espessura, e assim, fios mais finos tendem a compactar mais, e portanto a largura é um pouco menor. 

No próximo post: tapete 2 com um toque de Romero Brito...vamos ver...

Até lá!




Nenhum comentário:

Postar um comentário