quarta-feira, 16 de setembro de 2015

"Tá meio portuguesinha!"

Fernanda Maria é uma colega de trabalho e amiga de muitos anos. Nascida no Brasil, assim como suas irmãs, sempre digo que é a brasileira mais portuguesa que conheço (no melhor dos sentidos, nada daquelas piadas de mau gosto). Os pais são portugueses, e segundo ela, conheceram-se no navio que vinha da Europa para cá. Casaram-se e fixaram residência no Brasil, mas estão sempre voltando à "terrinha" para visitar parentes e amigos na cidadela de Ansião. Fernanda já foi algumas vezes também, e adora, pois tem a oportunidade de ir para várias cidades, como por exemplo, Fátima (de onde trouxe para meu marido uma linda Nossa Senhora), além de outros pontos turísticos lindíssimos de Portugal. Vive sua tradição de maneira orgulhosa, como poucos, e é uma delícia interagir com ela e suas histórias - impossível não aprender coisas interessantes.

Quando resolvi participar do Concurso Cultural da Círculo (http://www.euamobarroco.com.br/)
 tinha esse plano de tecer um trilho de mesa com umas 4 cores diferentes de Barroco Maxcolor. Escolhi, comprei, e quando chegaram, montei o urdume em um tear de pente liço, pente 3:1 (é o melhor para o Barroco - humilde opinião), e de posse de um plano meio rápído, comecei a organizar as cores no pente:

Eu queria um padrão "esteirinha" ou "log cabin" como se chama em inglês, mas ao invés de usar somente 2 cores, como é o normal, resolvi fazer uma coisinha diferente.

Ao começar a tecer, achei a mistura muito viva, alegre. Realmente fiquei feliz com o resultado, e no fundo do cérebro alguma coisa dizia que lembrava um conjunto de cores que eu já tinha visto em algum lugar, mas não sabia onde. A´te que postei uma foto em minha página no Facebook, e eis que a Fernanda Maria comenta: "tá meio portuguesinha"! 



Comecei a prestar atenção na trama, e aí eu vi que realmente o amarelo, com vermelho e verde são cores de Portugal! à medida que o trabalho avançava, as cores se misturavam e ficavam ainda mais vibrantes




Após a lavagem, quando a peça se acomoda, o conjunto ficou muitíssimo alegre



O efeito das 4 cores combinaram de maneira perfeita, até mais do que esperava. Tal padronagem é extremamente fácil de fazer, porque trata-se somente de ponto tela - o diferencial são as cores, que organizadas, fornecem este padrão.  

E assim, Fernanda, em sua homenagem, batizei a peça de "Portuguesinha", que segue hoje para a Círculo para que, ao lado de tantas maravilhas, possa humildemente participar deste concurso. Ganhando ou perdendo - o que importa? - a Portuguesinha estará lá fazendo bonito, isso eu sei!


E viva a tradição portuguesa - não só da Fernanda, mas de uma maneira ou de outra, de todos nós!


Até a próxima!

Um comentário: