quarta-feira, 30 de julho de 2014

Recomeço






Parece que estou começando, de novo. Após meses decidindo, pensando, resolvi mudar o nome do meu pequeno negócio. Era, desde 2008, Juntando Linhas e Trapos, uma vez que eu e minha prima, ela fazendo patchwork, e eu tecelagem, resolvemos iniciar alguma coisa divertida juntas. E assim levamos durante alguns anos. No entanto, por  total falta de tempo para se dedicar ao artesanato, ela acabou parando, e eu fiquei - e agora, sem minha parceira dos "trapos", parecia-me inútil continuar com o mesmo nome. Este blog, criado há algum tempo, trouxe a idéia de trazer este meu "universo paralelo" das tramas para outras esferas, e deste modo, depois de algum tempo hoje, troquei tudo: página do Facebook, email, Twitter, Instagram, Pinterest, e dei início a esta nova jornada, que continua, ao mesmo tempo recomeçando. Quero portanto convidar aos seguidores deste blog para conhecer e/ou seguir os novos endereços na Web:

Facebook: www.facebook.com/universoemtramas

Twitter: https://twitter.com/UnivEmTramas

Instagram: http://instagram.com/claudiarizzi

Pinterest: www.pinterest.com/UnivEmTramas

E, em breve, a loja no Elo7. Aguardem!


terça-feira, 29 de julho de 2014

Tapete em 4 quadros na padronagem Bird´s Eye

Estou em época de tapetes, e pensando em mil projetos para usar com os fios de malha. Como pretendo reabrir minha loja, tenho me dedicado a preparar alguns produtos para disponibilizar pelo site, e acabei não tendo muito tempo para escrever aqui...estou atrasada, eu sei... e com as férias já terminando, é hora de acelerar...

Bem, um de meus últimos trabalhos foi um tapete, uma passadeira curta, na realidade, feita no tear de 4 quadros em fio de malha na trama e barbante 8 na urdidura. Isso facilita bastante, pois pude utilizar um pente 2:1 e metade dos fios que eu havia usado para o tapete em overshot, já mostrado em outro post. Assim, parti para uma urdidura em azul indigo, barbante Soberano 8, 121 cabos. O número é esquisito por si só, eu sei - pq não 120? o fato é que para o ponto tela simples, 120 ou 121 não fariam diferença no desenho da trama, somente em sua largura; mas, como usei uma padronagem um pouco mais complexa, em twill 2/2 (já mostrado aqui em posts anteriores), para que o desenho se apresente de maneira correta é preciso acertar o número de cabos presentes, daí os 121 cabos. Como também já falado, o gráfico que seguimos é apenas a representação de um pedaço do desenho, uma amostra, e assim, cortar o número certo de cabos, levando-se em consideração o desenho e a largura/comprimento da peça que desejamos executar, é essencial, embora seja meio chatinho. Mas tudo bem, faz parte.

Comecemos do gráfico, que ficou assim:

Vemos que a urdidura em "point draft", ou seja, temos um zig-zag formado pelos cabos nos liços, é bastante simples e típica da padronagem twill. O desenho também é bastante popular, e chamado "Bird´s Eye" ou "Olho de pássaro". Eu quis que o tapete ficasse bem vistoso, para a colocação em uma beira de cama, ou cozinha, ao pé da pia, para dar um ar bastante descontraído ao ambiente. Assim, resolvi pelas cores mostradas acima, sendo que as faixas em uva são do começo e do fim do trabalho. O meio, em amarelo, vermelho e laranja, são repetidos continuamente.

Seguem fotos do trabalho em três momentos:


                           Aqui , no ínício, com o barrado em uva e as primeiras duítes em laranja e amarelo.



                          Já um pouco mais adiantado, vemos as repetições da parte central do gráfico.




                                   Trama terminada e lavada, pronta para o tratamento das franjas.



             Para o acabamento, franjas torcidas e aparadas, e tela antiderrapante no avesso, como sempre. Foram feitas laterais em crochê, e pronto! agora é só esperar quem queira...

Até a próxima!

domingo, 13 de julho de 2014

Tapete em overshot

Algum tempo atrás falei sobre a estrutura overshot, na confecção de um cachecol. Gostei tanto da coisa (que novidade), que resolvi usar a padronagem novamente, mas agora na confecção de um tapete. E para tanto, nada como um bom barbante (neste caso, usei tudo o que tinha em casa de Barroco) e fio de malha, em tons de marrom terra, coral e laranja. Mas, antes de tudo, o gráfico:



Esta padronagem é chamada "Orange Peel", ou "pele de laranja", coisa parecida, porque o desenho inteiro (aqui só temos uma amostra), parece uma laranja cortada em quatro, como que descascada; pelo menos, esta foi a idéia da pessoa que criou, ou publicou, este gráfico, muitos anos atrás (Josephine Estes, Miniature Patterns for Hand Weaving, part I, 1956). Por sua vez, a idéia do tapete em overshot tirei de um ebook (livro eletrônico) que comprei no site da Interweave, editora de publicações de tecelagem, americana, que já citei em outros posts. Esta publicação, de Tom Knisely, mostra a receita de um tapete em overshot com esta padronagem, e assim, tudo o que fiz foi adaptar à ideia do barbante com fio de malha. O tapete original está assim, ficando fácil de ver o desenho:

Para fazer meu tapete, usei um pente 2:1. Não é muito adequado para um barbante 6, mas dobrei o número de cabos em cada fenda e liço, e assim, consegui uma urdidura mais compacta. Para a trama, usei os fios de malha nas cores citadas, em faixas. Na verdade, decidi meio na hora que seria assim, e pessoalmente achei que ficou bom, bem vistoso. Um leve acabamento em macramé nas franjas, e pronto. Após a lavagem, o encolhimento deixou a padronagem mais aparente ainda, e um aspecto irregular nas bordas, que gostei muito, pois parece que acompanha o desenho. 




Em breve, à venda na loja!


domingo, 6 de julho de 2014

Novos trabalhos...férias, enfim!

Uau, quando olhei a data da minha última postagem neste blog, vi que faz tempo- tempo mesmo - que eu não posto nada aqui. Por conta da correria de fim de semestre, não tinha tempo ou energia para sentar e organizar o que andei fazendo. E agora, de férias, posso finalmente registrar as peças que andei tecendo. A primeira a ser mostrada é uma bolsa que pessoalmente adoro, porque foi construida literalmente a partir do fio: fiz a trama em meu tear de pedal, e assim montei um tecido; deste tecido, cortei, colei, costurei no formato que desejava, e por fim acrescentei as alças, compradas pela Internet. Mais uma aventura!

A primeira coisa a fazer é definir o desenho: assim, optei por uma padronagem de estrutura chamada "twill", já falada em outros posts. Veja que temos um desencontro entre urdidura (azul) e trama (uva), promovendo estes desenhos em escadinha. Este twill é um 2/2, ou seja, o fio da trama passa por baixo de 2, e por cima de dois fios da urdidura. 
Um outro aspecto a ser analisado é como os fios estão organizados na urdidura. Esta configuração é chamada "broken point", porque não seguirá o normal para o twill, que é 1234321, mas será desencontrado, "quebrando" a sequência normal, e por isso chamado "broken". Esta irregularidade modifica a passagem dos fios pela urdidura, que aliado à sequência da trama, no meu caso, as "pedaladas" (coluna vertical à direita), produz o desenho acima. Maiores detalhes sobre a leitura de gráficos será apresentada a vocês em breve, pelo site FazFácil, em texto escrito por mim.


Preparado o tear, é hora de tramar! Olha só como é bonito ver o desenho surgir!


Um pouco mais de perto, mostrando os detalhes,



Vendo a trama surgir embaixo, enquanto o fio da urdidura vai chegando, em cima. Uma visão maravilhosa.


Terminado a trama, deve-se lavar para acomodar o fios adequadamente e promover o encolhimento. Aí então, teremos um tecido.


Tesoura, cola, máquina de costura e muitas horas depois... temos uma bolsa, que ficou muito boa, sem falsa modéstia. Eu nunca tinha utilizado alças assim antes, então a novidade também foi como as pregar devidamente. Resolvi usar uma agulha de tapeceiro e o próprio fio do trabalho para fazer o pesponto.

O forro em tricoline realmente valorizou a peça, e deu um ar divertido. Optei por botões magnéticos para o fecho, porque...bem...são fáceis de colocar, e...eu não sei colocar ziper! (pronto, falei)... outra aventura a ser colocada em prática, em breve...

Sobrou tecido para fazer uma carteira, que por sinal estou terminando. Assim, vou vender como conjunto, ou separadamente. Acho que vai ficar bacana! mas, fica para um próximo post!