terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Meditação

Normalmente quando teço, medito. Não há como não fazê-lo, principalmente quando não há um gráfico para seguir ou medidas a ajustar; há simplesmente o fluxo das mãos montando a urdidura e depois, tramando. Ontem resolvi começar a arrumar meu ateliê, e no meio da bagunça, achei meu saco de restos de fio de malha, dos vários trabalhos executados ao longo do ano.
Virei o saco em cima da minha mesa, uma confusão sem começo ou fim. E de um estalo, pensei: o que é melhor do que um tapete de restos? Passei para o equipamento. A princípio, o tear de pente liço, robusto, pois já imaginei uma tapeçaria desenhada, com cores complementares e mentalmente já comecei a selecionar, separar, organizar por tons, etc...e então parei. "Estou cansada", pensei. O fim de ano foi agitado, com formaturas, bailes, entrega de notas, correria para arrumar tudo. "Nada de cálculos, métrica. Nada de combinações, nada da beleza estética. Aleatório e simples". Peguei o tear de pregos. Montei primeiro para depois ver o tamanho, e ainda não conferi. Para a urdidura, peguei um barbante, sem conferir espessura. E cru, pra não pensar em cor de fundo. Montei, e então tinha à minha frente uma tela em branco. Comecei a tecer. Peguei sem olhar muito dois fios de malha de cores diferentes e emendei. Fiz as primeiras carreiras rapidamente, sem pensar, e continuei a emendar as fios um atrás do outro, sem combinar, sem...me preocupar.
E me vi livre, pensando sobre a vida e sobre o ano que está terminando. Ao tecer, seleciono a sequência de cores que estão sendo ditadas por todas as lembranças que todo fim de ano nos traz, e então uma gama de sentimentos vão tomando conta;  me vejo sorrindo, relaxando... meditando.
Devo continuar neste processo até o ano que vem... Boas Festas, pessoal. Obrigada por seguirem este blog, e espero que continuem, pois tem mais tecelagem por aí! Até 2014!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Novo passo-a-passo no ar: Bolsinha da vovó!

Tenho gostado de brincar com as formas mais simples do tecer. Fico constantemente encantada com o fato de que o cruzamento de fios e linhas possa produzir tecidos dos mais variados, e que nem sempre um tear é necessário - basta qualquer superfície sobre a qual fios, fitas, possam ser colocadas na vertical sob certa tensão. Comece a passar fios na horizontal, e pronto! temos uma trama, um tecido que está pronto para ser criativamente utilizado. Desta vez, resolvi pegar minhas fitas de viés de algodão, e fazer uma bolsinha. E teimei: agora quero por o famoso fecho da vovó! teimando aqui e ali, executei meu desejo - e não é que deu certo? Escrevi até o passo-a-passo, que está disponível em meu site: http://www.juntandolinhasetrapos.com/#!em-branco/c11hu. Quer conhecer? é só clicar!



sábado, 30 de novembro de 2013

Jogos americanos em fio de malha

Entre um trabalho e outros nos teares de pente liço e de quadros, gosto de voltar ao básico, e brincar com os teares de pregos. Nas últimas semanas, resolvi fazer alguns jogos americanos com os vários fios de malha que tenho. Comecei combinando um rosa claro com um estampado, em um xadrez basiquinho. O tecido ficou bem consistente, do jeito que gosto, e uma vez retirado do tear, passei o ponto correntinha com um agulha de crochê grossa, e um outro tom de rosa, mais escuro, pelos quatro lados da peça:

 


Gostei da brincadeira, e resolvi agora combinar o rosa mais escuro das beiradas com o mesmo estampado:



Fiquei impressionada em ver como o estampado ficou diferente ao entrar em contato com o rosa escuro. Resolvi, então, combinar os dois tons de rosa, em um padrão "esteirinha", e fiz uma peça bem diferente das outras, mais divertida e menos romântica:




Por último, resolvi mudar de cor radicalmente, partindo para tons de verde e azul, em um padrão de "cataventos" ou "quebra-cabeças":



 
 
Após a lavagem à mão, essencial para acomodar os fios e definir o tecido, tive um encolhimento de aprox. 1 cm de cada lado, com um produto final de aprox. 30 x 41 cm. E coloquei à venda...alguém se habilita? é só visitar minha loja: http://www.juntandolinhasetrapos.elo7.com.br
 
Ótimos presentes de Natal!
 
 

sábado, 16 de novembro de 2013

Trabalhando com sobras - que tal um centro de mesa diferente?

Trabalhar com o tear de pente liço ou de 4 quadros normalmente envolve uma quantidade de fios que acabam indo para o lixo. Quando um trabalho fica mais curto do que o previsto, por motivos diversos (perda de tensão dos fios, acabou o fio da trama, cálculo mal feito do comprimento da urdidura, etc), você vê aquele tanto de fios e pensa: putz, e agora? jogo fora, ou o quê? normalmente tenho dó e acabo guardando em algum saquinho, sempre pensando: "bom, qualquer hora destas eu vou precisar disso". Não preciso dizer que o número de "saquinhos" que guardei ao longo dos anos é alto...
(Meu marido me chama de acumuladora...meu Deus...)
Desta última vez, a sobra de fios foi assustadora. Tinha um plano na cabeça, mas por problemas com o tear de pente liço que eu estava usando, acabei abortando o projeto no meio, e transformando uma bolsa em uma bolsinha. Ainda bem que deu certo e lá está para vender na lojinha da minha amiga. Aliás tenho uma foto aqui...

                                       Que por sinal faz conjunto com esta carteirinha:

 
OK. Resolvidos esses assuntos, fiquei pensando no que fazer com vários fios de barbante Barroco de mais ou menos 1m (exatamente, olha o estrago) que sobraram, e então resolvi tentar uma coisa diferente, no tear de pregos. Olhei minha forma que já estava montada para um projeto anterior, e olhei para minha caixa (ADORO o Armarinhos São José!) cheia de viés de algodão largo. Hum...
 
Para resumir a história, montei a urdidura no tear, utilizando os fios de barbante, e como trama, usei tiras de viés de algodão. Entre uma tira e outra, fiz ponto correntinha com a agulha de crochê, utilizando os fios de barbante. Lavei a trama, e coloquei um forro atrás. Passei costura reta na máquina, e pronto. E não é que ficou interessante? achei tão legal que fiz um PAP do processo, disponível no meu site, para quem quiser usar ou compartilhar.
 
Cá está o produto, que vai direitinho para mamãe:
 
 
Divirta-se!

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Caminho de estrelas...

Minha nova aventura em tecelagem é um tipo de desenho chamado em inglês "crackle". Esta padronagem tem este nome, que em português pode ser chamado de "rachadura", justamente por apresentar linhas que passam por cima de dois ou mais fios da urdidura em um padrão irregular, e quando olhamos o tecido, temos a impressão de existem várias "rachaduras" que compõem um desenho. Para começar (claro, quanto mais complicado mais eu gosto...), escolhi um gráfico que achei em um site maravilhoso: www.handweaving.net, onde tem de tudo, dos mais simples aos mais complicados, e o que é mais legal, de graça!!! Este foi o que escolhi, lindas estrelas para serem feitas no tear de 4 quadros:
 
Tive que fazer alguns ajustes no desenho original, e acrescentei, entre as "carreiras" que formam o desenho (no gráfico, em branco), "carreiras" de ponto tela, para estabilizar melhor o tecido e definir o padrão. Muitas vezes, o que vemos no gráfico não fica tão bom na realidade, então este truque de alternar carreiras de desenho com ponto tela simples realmente ajuda a melhorar a estética e a estabilidade da trama. Isto aprendi com minhas amigas americanas no Facebook, e nos vários livros de tecelagem que tenho.
 
E aí, após algum tempo sofrendo para montar a urdidura (é preciso seguir fielmente a ordem dos fios ditada pelo gráfico), eis que consegui minhas estrelas, feitas com algodão mercerizado e fio de polipropileno (aquele que imita seda, como Princesinha, Liza, etc):

 
 
Este será um caminho de mesa. Caminho de estrelas prateadas...


quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Tapete em malha e barbante (2)

E agora, fotos do resultado. Com relação ao efeito do encolhimento, foi bem menor do que o esperado, praticamente não há diferença significativa de encolhimento entre o barbante e a malha de algodão.  A trama fechou de maneira esperada, com a acomodação do barbante bem feita, o que me deixa contente, uma vez que não há buracos nas partes onde não há malha.
 

 




E para finalizar, trancei as franjas, parcialmente, em um macramé simples, e deixei o resto abrir com a lavagem:



E agora não tenho coragem de vender... rs....

sábado, 5 de outubro de 2013

Tapete em fio de malha e barbante - interlace

E lá vamos nós, na produção de tapetes. Este está sendo feito na tear de pente liço, e estou esperando dimensões finais de 0,50 x 1,70 m, mais ou menos. Minha expectativa cai sobre o efeito do encolhimento entre os materiais que escolhi, desta vez, fio de malha estampado e barbante. Na urdidura, usei barbante colorido nº 8, 6 e 4 (duplo) (era o que eu tinha; preferencialmente, usaria tudo 8), e fiz uma urdidura com fios azul celeste, vermelho e amarelo. Comecei com ponto peruano em azul, e 20 carreiras em azul, amarelo e vermelho.
 
Introduzi o fio de malha, fazendo interlace com barbante das cores escolhidas
 
 
E, deste modo, estou seguindo o trabalho, variando entre as cores do barbante.
 


A idéia aqui é verificar o que acontece depois da lavagem; penso que o barbante vai encolher mais do que o fio de malha, o que vai causar alguns efeitos no trabalho. Assim espero!!!

Como sempre, posto fotos do "depois" em breve!
 

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Panos de copa (2)

Conforme prometido, segue o resultado do pano de copa, já lavado e pronto para usar:



Um toque de macramé nas franjas, e pronto, já tenho um paninho. Resta saber se funciona...

domingo, 29 de setembro de 2013

Panos de copa

Estou começando uma série de panos de copa em tear de 4 quadros. Comprei fios de algodão 8/2, fininhos, não mercerizados, da União Fios. 20 kg de várias cores. Com certeza, tenho linha para me esbaldar até o ano que vem, se eu quiser.

E aí, para começar, vamos de "summer and winter":

 
Padronagem fácil de fazer, e depois que se aprende a sequência, quase nem é preciso seguir o gráfico. A idéia é construir blocos, e para tanto escolhi como cor base o laranja. Aqui está o resultado:
 


Como sempre, vamos aguardar o resultado da lavagem (sempre o mais esperado)
Logo, logo, novas fotos a caminho!!!


 
 
 

domingo, 22 de setembro de 2013

Novo site Juntando Linhas e Trapos

Olá! gostaria de convidar todos para conhecerem meu novo site. Lá estão os mais novos produtos disponíveis para venda/encomenda, com link direto para a loja no Elo7, bem como fotos de trabalhos mais antigos, experimentos, que podem ser conferidos na aba "Galeria". Como qualquer obra em construção, ainda preciso melhorar algumas coisas (rs), acrescentar outras, mas  já dá para ter uma visão global. E se quiserem deixar seus comentários, serão muito bem vindos, e para isso, basta clicar na aba "Contato".

http://www.juntandolinhasetrapos.com (domínio próprio...o que me deixa mais feliz ainda...)



                        Espero vocês lá!

sábado, 21 de setembro de 2013

Tapete em barbante e acrílico, parte 2

Conforme prometido, acabei o tapete, e após lavagem, olha só que efeito interessante eu obtive, já esperado: o algodão (barbante) encolheu significativamente (perdi aprox. uns 2 cm de cada um dos lados depois que tirei do tear), enquanto que o fio de acrílico não encolheu. O resultado foi que as laterais do tapete desenvolveram harmoniosas e belas ondas:


 
Resolvi, então, fazer um acabamento simples nas bordas, com o fio de acrílico e agulha de crochê, nada além de um ponto correntinha:
 
 
As franjas, depois de um tempo decidindo, receberam um macramé basiquinho, mas que sempre salva o dia:
 






 Terminado e disponível na loja!



 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Tapete em acrílico e barbante

Estou em uma onda de tapetes. Depois de alguns em ponto peruano, agora voltei ao meu pente liço com algumas idéias simples. A maravilha de se fazer um estoque de fios POR ANOS é que, pode-se encontrar fios perdidos, pequenos tesouros que combinados com outros, podem gerar peças interessantes. Dias atrás, deparei-me com um pacote de fios de acrílico, que comprei nem sei quando. Resolvi fazer algumas combinações de cores com barbantes coloridos (outra mania minha), e montei um xadrez bacana para um tapete para quarto de menino:




O azul e o preto, lisos, são barbantes coloridos n° 8 e 4, respectivamente. Para respeitar o balanceamento, os fios pretos estão colocados em dobro na urdidura. O fio colorido é um acrílico em amarelo, branco e azul, com toques de preto, e deste modo, estou tramando de modo a obter um quadriculado. Estou usando um pente 2:1 e toda a sua largura, que é de 60 cm. A peça, em si, já está no tear com 53 cm de largura, e quando estiver solta, acredito que chegará a aprox. 51 cm. A mágica mesmo acontecerá após a lavagem, quando há encolhimento do algodão e acomodação dos fios na trama, e aí veremos o que ocorre. Prometo fotos do depois; por ora, fiquem com o antes, que até o momento, me agrada bastante.

domingo, 1 de setembro de 2013

Última pelerine deste inverno!

O inverno começa a se despedir, e com ele, nossas peças mais quentes. Para celebrar este ciclo, fiz esta pelerine com fios de viscose e poliéster, em tons de marrom e dourado. Basicamente, é um xale comprido, cujas pontas são unidas parcialmente pelo comprimento. A peça formada então tem um quê de poncho, atrás, e um quê de pelerine, na frente. O design foi baseado em uma peça parecida com um que minha amiga possui, em cor única, mas feita em tricô e mais fina.



Elaborei estas listras, de maneira a serem crescentes e decrescentes ao longo da peça. São contadas por duítes ("carreiras"), e assim, as cores vão se alternando em faixas de tamanhos diferentes. O detalhe visual fica, de fato, por conta de como as cores vão se intercalando, em ponto tela e trama batida suave. 
Detalhes das costas:


Para finalizar, nada como um bom crochê, em ponto picô, com o mesmo fio marrom usado na peça. As franjas, torcidas, tem detalhes em acrílico. Quem não gosta de um pouco de brilho?

Tapetinhos e mais tapetinhos...

Olá, pessoal, faz tempo que não apareço... estava, como sempre, experimentando. E, ao longo destas experiências, andei brincando de tecelagem com meus fios de malha, e um tear de pregos. Fiz assim alguns tapetinhos, que mostro aqui, e cujo passo-a-passo vai ser preparado e lançado no final de setembro. Por enquanto, algumas dicas da técnica:

Estes tapetes foram feitos em uma variação do que se chama ponto peruano, onde dois fios são torcidos um sobre o outro:

No meu caso, é uma variação porque acrescentei um terceiro fio. Este deve ser passado primeiro, por cima e por baixo dos fios da urdidura. Depois, por cima dele, é feito o ponto peruano com outros fios, conforme o desenho acima. Para o tapete rosa e amarelo, o primeiro fio é amarelo, e os fios que fazem o ponto peruano são rosa. Assim, temos um belo pontilhado de amarelo entre tramas rosa. A mesma técnica foi empregada para o outro tapete, em mostarda, laranja e areia. O fio inicial é o areia, e o mostarda e o laranja vão fazer o ponto peruano. Veja que cada carreira foi construida para que o fio laranja se destacasse, formando estes padrões em zig-zag. 

Um novo tapete está em construção, e agora estou usando o ponto peruano com dois fios. A idéia aqui é utilizar as cores diferentes em um padrão de faixas horizontais:



Estou aplicando o ponto peruano na mesma cor por duas carreiras, sendo que a torção dos fios se dá para lados opostos para cada uma delas. Comecei o trabalho de cima para baixo, então, para cada tom de azul, sigo este padrão: a primeira carreira da cor terá a torção de cima para baixo, e da esquerda para a direita, e a segunda carreira, terá a torção contrária, na mesma direção. Assim, as duas carreiras juntas formam um padrão de "tranças". Assim que terminado, posto novas fotos.Veja que retalhos de tecido também podem ser utilizados, formando uma trama diferente e fácil de fazer. E então, vamos tentar?